Categorias

Blog Post

Uma trágica retórica da vida!
VinoArt possui mais de 450 rótulos, além de cachaça, cerveja, licor, whisky, queijos e acessórios. Em breve também no Ipanema Harbor (Rua Gomes Carneiro, 132, loja 112), construído em 2018 com material reciclado, o espaço de 850 m² une gastronomia, moda, entretenimento e cultura, é o primeiro shopping de contêineres do Rio, está localizado em um dos últimos grandes terrenos de Ipanema ainda disponíveis, próximo da Praça General Osório e a poucos metros da praia. (Divulgação)
Colunistas, Gastronomia

Uma trágica retórica da vida! 

Por Brunno Guedes –

Recentemente, vimos a notícia de que uma jovem fez sangria com um vinho de R$ 14 mil guardado pelo pai por 17 anos. Um Petrus vintage 1999! Esse caso aconteceu com Pete Jones, 56 anos, que deixou a filha Lara, de 19, em casa com alguns amigos e, no dia seguinte, cadê a garrafa?

A jovem Lara usou um vinho raro de R$ 18 mil, guardado por 17 anos pelo pai, para fazer drink com refrigerante e frutas para os amigos. (Foto: Olive Press)

Mas isso não é inédito para os amantes do vinho e logo me lembrou de uma história que li há uns anos atrás. O conto em questão vem de um livro de Amaury Temporal, “De Vinho e Rosas”.

“De Vinhos E Rosas”, por Amaury Temporal. Editora: Civilização Brasileira. (Divulgação)

Buchwald, jornalista e humorista norte americano, conta que quando trabalhava em um jornal, que este jornal proibia os seus jornalistas de aceitarem qualquer presente que não pudesse ser consumido.

Um belo dia, Buchwald ganhou uma caixa de Château Lafite Rothschild e, no futuro, ela se transformou em sua joia rara.

Ele guardou por anos para que um dia pudesse abrir em um momento especial. Algum tempo depois, resolveu abri-las no futuro casamento de sua filha, mas não encontrou o vinho e, depois de muito procurar encontrou as 12 garrafas vazias enfileiradas ao pé da janela. Seu filho tinha dado uma festinha e quando acabou a cerveja, resolveram beber o vinho do velho.

Buchwald conta que chorou como uma cuspideira grega.

Arthur Buchwald (20/10/1925 – 17/01/2007) foi um humorista norte-americano que ficou célebre pela sua coluna no The Washington Post. Seu texto focava na sátira política, e servia como expressão para as suas opiniões. (Wikipédia)

Quantos e quantos casos não devemos nem ter conhecimento? Ter um bom professor, ler bons livros ou possuir litragem são algumas maneiras de aprender sobre vinho. Mas para quem não tem essa intenção, ter um pai que ensine o básico é essencial.

Fica a dica!

Boa degustação e até a próxima!

Sob o pôr do sol mais querido dos cariocas, os melhores e mais exclusivos Rótulos do mundo pelos melhores preços. Vem aí VinoArt Ipanema.


BRUNNO GUEDES é sommelier master, empresário e Ceo da VinoArt©. Formado pela Associação Brasileira de Sommeliers (ABS/RJ), possui o nível I da International Sommelier Guild, uma das mais respeitadas escolas de sommeliers do mundo, além do certificado IBRAVIN – Qualidade na taça 2015. Lecionou no Senac do Rio de Janeiro, foi consultor do Empório Cadeg, é colunista especializado em vinhos do jornal Tribuna da Imprensa Livre e já conta com mais de 15 anos de experiência no mercado.


Tribuna recomenda!

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *