Categorias

Blog Post

SOMOS SIRO DARLAN! Depoimentos de Françoise Schein e Paulo Ramos
Colunistas, Geral

SOMOS SIRO DARLAN! Depoimentos de Françoise Schein e Paulo Ramos 

Por Daniel Mazola e Prestes Filho –

Em função da repercussão das matérias exclusivas: “SIRO DARLAN: a Força, a Indignação e a Verdade““SIRO DARLAN: eu conheço a fome, eu conheço o frio, vivi a vida dos jovens e das crianças abandonadas – essa é a minha origem”, estamos publicando uma série de depoimentos e manifestações de solidariedade de diversos membros da sociedade civil sobre a “perseguição implacável” – como a maioria tem se referido ao caso – que culminou com a suspensão do exercício da função do desembargador Siro Darlan.

Nosso objetivo é transforma esse trabalho em livro ou edição especial do jornal impresso para ser distribuído gratuitamente, caso queira ou possa contribuir com algum valor, entre em contato via WhatsApp (55 21 98846-5176) ou e-mails: mazola@tribunadaimprensalivre.com / prestes@tribunadaimprensalivre.com

***

SOMOS SIRO DARLAN

Depoimentos – Parte XVI

#campanharestaurarverdade

FRANCOISE SCHEIN é arquiteta e artista plástica, nasceu em Bruxelas, na Bélgica. Formada em Arquitetura e Urbanismo pela Escola de Artes Visuais e Arquitetura La Cambre, em Bruxelas, é mestre em “Design Urbano e Arquitetura” pela Columbia University de Nova York, e catedrática de arte na ESAM – Escola Superior de Artes e Ofícios em Caen (Normandia). Fundou a Associação INSCRIRE (Inscrever), que gera projetos participativos oriundas de universos diversos. Nas comunidades do Rio de Janeiro, nas periferias das capitais europeias, e em escolas em várias partes do mundo, cria obras perenes e importantes, que marcam e transformam a paisagem urbana. Françoise desenvolveu um método pedagógico específico com o objetivo de conscientizar os jovens para a importância dos direitos humanos e possibilitar o trabalho em colaboração com o público diversificado.

Françoise Schein

Tribuna da imprensa Livre: O desembargador Siro Darlan é uma referência entre os magistrados brasileiros, em especial, por sua atuação junto a população que vive em situação de exclusão social, concorda?

Françoise Schein: Conheci o advogado Siro Darlan durante o processo de adopção da minha filha Lohana. Foi uma adopção longa e complexa que terminou numa felicidade partilhada por todos, a família direta, irmão e irmãs, avó, tia e tio com quem demos imediatamente continuidade aos laços familiares, visando o equilíbrio emocional da criança adoptada e da sua família. O Sr. Siro Darlan estava ciente das nossas visitas e reuniões familiares e encorajou-nos neste sentido porque sabia quão forte e importante é o afeto antes do legal no caso de adopções. Na verdade, adaptei a família inteira! Por isso, sabia que eram uma família muito pobre, à qual prometi voltar sempre ao Brasil para apresentar a sua filha. Assim, os laços familiares nunca foram cortados e isto com o pleno conhecimento do Sr. Siro Dalan que foi capaz de seguir de muito perto esta forma de adopção que não cria uma crise e, pelo contrário, produz continuidade de vida em todas as partes das famílias biológicas e adoptivas. Há 20 anos que eu e Lohana voltamos ao Brasil no Rio para continuar a ativar estes laços familiares e assim criar uma grande família internacional. O Sr. Siro Darlan também foi capaz de observar e apoiar esta adopção singular e única. Ele compreendeu que não quebrar os laços emocionais construiu a felicidade de todos. Isto exigia esforço e paciência.

Além disso, ao mesmo tempo que regressávamos para ver a família, como arquiteta e artista visual, tinha inventado e desenvolvido na Europa um grande projeto artístico e educativo para o ensino dos direitos humanos às crianças nas escolas primárias e secundárias.

Pouco depois da adopção de Lohana e de nos ver sempre a regressar ao Brasil para ver a família, Siro Darlan propôs-me a criação deste projeto de ensino dos direitos humanos nas escolas no Rio de Janeiro. Desde então, ele, eu e uma equipe de profissionais e voluntários temos vindo a ir de uma escola municipal para outra, ensinando e criando com os jovens os nossos magníficos painéis de azulejos que são sempre colocados nas paredes da escola. Siro Darlan esteve sempre conosco em todas as escolas para apresentar o conteúdo filosófico e jurídico do projeto aos alunos. Está presente em cada escola no início e no fim do projeto para felicitar cada criança e cada professor pelo seu belo trabalho.

Siro Darlan é um homem não só de coração mas de ações belas e generosas. Com o nosso projeto, ele apertou as mãos de milhares de jovens e ensinou-lhes o que é a lei com belas palavras ao seu nível. Fizemos um filme da sua intervenção em Bangu.

O Desembargador Siro Darlan de Oliveira explica (vídeo abaixo) à jovens do Rio de Janeiro o que são os direitos e deveres humanos. Ele apresenta o trabalho da Association INSCRIRE no mundo.

Tribuna da Imprensa Livre: Na sua opinião o desembargador Siro Darlan sempre atuou com seriedade e cumprindo rigorosamente os mandamentos éticos da magistratura?

Françoise Schein: Sem dúvida que Siro Darlan conhece a vida e age sempre no sentido de uma ética pura e profunda para todos os interessados. Há 20 anos que o vejo compreender e agir no sentido da bondade, generosidade, compaixão, amor ao próximo e sempre com um sorriso e uma extraordinária força de vida interior. Nunca falhou nos seus deveres como magistrado, nunca falhou em ajudar os desfavorecidos. Esteve sempre presente durante as nossas ações nas dezenas de escolas onde trabalhámos para ensinar as bases da democracia – através da Declaração dos Direitos Humanos – aos jovens, e isto através de projetos artísticos poderosos e visíveis nas comunidades. A muito famosa é a obra localizada em Siqueira Campos, em Copacabana!

Siro Darlan apoia sempre as pessoas em necessidade e ações para as ajudar.

Françoise Schein

Tribuna da Imprensa Livre: Escreva sobre um fato relevante vivido, pessoalmente, ao lado do desembargador Siro Darlan. Momento quando o magistrado ofereceu exemplo de cidadania e profissionalismo.

Françoise Schein: Há muitos exemplos que vivi com o Sr. Siro Darlana nos 20 anos desde a adopção de Lohana. Ele fez-me descobrir as maravilhosas crianças brasileiras desprivilegiadas, mas tão inteligentes e poderosas. Recomendo-lhe que veja o filme da sua intervenção numa das nossas escolas em Bangu e verá como, com inteligência e compaixão, ele ensina o que são os direitos humanos.

Siro Darlan tem trabalhado com a Associação INSCRIRE desde as suas origens. Ele está sempre conosco para nos ajudar a continuar este projeto humanista que estamos a desenvolver em conjunto nas 1001 escolas do Rio de Janeiro.

Agora um vídeo onde um jovem rapaz de 13 anos fala das recomendações de Siro Darlan em referência na própria vida.

Aqui outro vídeo do projeto na unidade Degase, com participação do Sr. Siro Darlan:

Nosso trabalho comum é a melhor prova da alma de Siro Darlan.

Todo esse trabalho será visível no Paço Imperial na nossa exposição LUZ NO BRASIL (da artista Françoise Schein) com a Associação INSCRIRE. Conheça nosso website: www.inscrire.com

***

PAULO RAMOS é oficial da reserva da PM, advogado, administrador de empresas e especialista em políticas públicas pela UFRJ. Foi presidente do Clube dos Oficiais da PM/BM (1985), deputado estadual no Rio de Janeiro por 5 mandatos (de 1998 a 2018), em 2018 foi eleito para exercer seu terceiro mandato de deputado federal no Congresso Nacional. Foi escolhido o deputado constituinte Nota 10 (1988) pelo DIAP, órgão do Dieese, por ter defendido e votado em todos os direitos dos trabalhadores. No segundo mandato, (1990/94) se notabilizou pela luta contra a revisão constitucional, que pretendia retirar do texto da Lei Magna direitos e conquistas dos trabalhadores e de proteção e defesa da nação.

Tribuna da imprensa Livre: O desembargador Siro Darlan é uma referência entre os magistrados brasileiros, em especial, por sua atuação junto a população que vive em situação de exclusão social, concorda?

Conheço o Dr. Siro Darlan há muitos anos, desde quando era juiz da Vara da Infância e da Juventude, o mais destacado juiz de menores que o Estado do Rio de Janeiro já teve, e sempre obviamente esteve ao lado dos mais sofridos e injustiçados, é realmente uma grande referência na nossa magistratura.

Tribuna da Imprensa Livre: Na sua opinião o desembargador Siro Darlan sempre atuou com seriedade e cumprindo rigorosamente os mandamentos éticos da magistratura?

Eu não tenho nenhuma dúvida! Talvez exatamente pelo rigor com que age em nome da nossa magistratura no Poder Judiciário, talvez por isso mesmo, o desembargador Siro Darlan tenha adquirido tantos inimigos. Mas todo o trabalho dele sempre será reconhecido.

São muitas as participações do magistrado em audiências públicas nas casas legislativas. Siro Darlan, Paulo Ramos e Astério dos Santos, em 2005 na ALERJ

Tribuna da Imprensa Livre: Escreva sobre um fato relevante vivido, pessoalmente, ao lado do desembargador Siro Darlan. Momento quando o magistrado ofereceu exemplo de cidadania e profissionalismo.

Então vou contar o episódio que resultou do meu reconhecimento em defesa do magistrado Siro Darlan. Fui o autor da iniciativa na Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro que conferiu ao desembargador Siro Darlan a medalha Tiradentes, está minha iniciativa resume todos os momentos, vários episódios importantes na trajetória do desembargador Siro Darlan, alguns dos quais participei, e tantos outros que também acompanhei. Parabéns pela iniciativa jornalistas Daniel Mazola e Prestes Filho, Somos Todos Siro Darlan!

***

Envie seu depoimento:

mazola@tribunadaimprensalivre.com

prestes@tribunadaimprensalivre.com 

Assine a nota pública de defesa da independência funcional do desembargador Siro Darlan: http://chng.it/4zLKk5xPVj


DANIEL MAZOLA – Jornalista profissional (MTE 23.957/RJ); Editor-chefe do jornal Tribuna da Imprensa Livre; Consultor de Imprensa da Revista Eletrônica OAB/RJ e do Centro de Documentação e Pesquisa da Seccional; Membro Titular do PEN Clube – única instituição internacional de escritores e jornalistas no Brasil; Pós-graduado, especializado em Jornalismo Sindical; Apresentador do programa TRIBUNA NA TV (TVC-Rio); Conselheiro Efetivo da Associação Brasileira de Imprensa (2004/2017) e ex-presidente da Comissão de Defesa da Liberdade de Imprensa e Direitos Humanos da ABI; Foi Vice-presidente de Divulgação do G.R.E.S. Estação Primeira de Mangueira (2010/2013).


LUIZ CARLOS PRESTES FILHO – Diretor Executivo do jornal Tribuna da Imprensa Livre; Cineasta, formado em Direção de Filmes Documentários para Televisão e Cinema pelo Instituto Estatal de Cinema da União Soviética; Especialista em Economia da Cultura e Desenvolvimento Econômico Local; Coordenou estudos sobre a contribuição da Cultura para o PIB do Estado do Rio de Janeiro (2002) e sobre as cadeias produtivas da Economia da Música (2005) e do Carnaval (2009); É autor do livro “O Maior Espetáculo da Terra – 30 anos do Sambódromo” (2015).

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *