Por Luiz Carlos Prestes Filho

A candidata a vereador de Nilópolis, Raissa de Oliveira promete melhorar “o projeto Médico em Casa, que visa garantir qualidade de vida para o cidadão nilopolitano, proporcionando atendimento médico na casa de pessoas em reabilitação física/motora, pacientes crônicos sem agravamento ou em situação pós-cirúrgica e idosos”. Em entrevista exclusiva para o jornal Tribuna da imprensa Livre destaca que:

“Nunca participei da política, nunca ocupei nenhum cargo público. Esta é a minha primeira candidatura”.

Raissa de Oliveira com diversas lideranças comunitárias de Nilópolis (RJ)

Luiz Carlos Prestes Filho: Como você vê a cidade de Nilópolis no contexto dos outros 91 municípios do Estado do Rio de Janeiro?

Raissa de Oliveira: Todas as ruas da cidade possuem calçamento e esgotamento sanitário regulares. Como proposta, trabalharei fortemente para a privatização da água, pois é um serviço muito ruim. Todos temos direito de ter água em casa! A falta d’água é muito comum aqui no município, mas a conta sempre chega. Defenderei também a criação de tratamento de esgoto para o município. Digo tratamento 100%, visando cessar a poluição da Baía de Guanabara, melhorando assim a qualidade de vida dos moradores, protegendo a nossa saúde… é um ecossistema.

Prestes Filho: Você entende que um vereador deve ter atuação distrital? É importante valorizar o bairro, a praça a rua?

Raissa: Não, essa valorização é serviço do executivo. Cabe ao vereador fiscalizar o orçamento público municipal, propor leis, fiscalizar o funcionamento dos postos de saúde, fiscalizar as escolas e colocar recursos específicos para cada secretaria do município.

Prestes Filho: O desenvolvimento econômico e a geração de trabalho e renda podem ser potencializados em Nilópolis? Como?

Raissa:

Fazendo um grande projeto junto ao SEBRAE com apoio as micros e pequenas empresas para potencializar as mãos de obra mais importantes da cidade.

Nilópolis é uma das treze cidades da Baixada Fluminense e um dos menores municípios do Brasil (Reprodução/arquivo Google)

Prestes Filho: As políticas de controle da ocupação do território de Nilópolis estão adequadas e atualizadas?

Raissa: Temos um projeto de lei para propor uma revisão no Código Municipal de Obras, Urbanismo e Ocupação Territorial.

Prestes Filho: Você está candidata a vereadora por desejar melhorar a cidade? Como você vê a política municipal atual? Como pretende legislar? Quais prioridades?

Raissa: Houve muitos avanços, isso é notório, apesar de todas as críticas e dificuldades, mas meu compromisso com o meu candidato a prefeito é que será colocado em pauta nossos projetos para área da saúde, da educação, da assistência social, da cultura e estou muito confiante em conseguir realizar alguns projetos.

Prestes Filho: Quais suas propostas para saúde e educação? O município estava preparado para enfrentar a pandemia da Covid 19?

Raissa: Para saúde temos: (1) a melhoria do projeto Médico em Casa, que visa garantir qualidade de vida para o cidadão Nilopolitano, proporcionando atendimento médico na casa de pessoas em reabilitação física/motora, pacientes crônicos sem agravamento ou em situação pós-cirúrgica e idosos. Evitando desta maneira internações hospitalares inapropriadas e o aumento das filas nos serviços de urgência /emergência. Hoje o ESF possui 29 equipes (61,57%), vamos trabalhar forte junto ao município e ao governo federal para chegarmos a 79 equipes (100%) no município, o que nos permitirá assistir todo e qualquer cidadão nilopolitano. As equipes serão multiprofissionais compostas por médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, fisioterapeutas, assistentes sociais, entre outros; (2)- A reativação e ampliação do Hospital Municipal Juscelino Kubistcheck, que dispõe de um recurso na ordem de R$ 15 milhões e 200 mil para licitações, já liberados pela Caixa Econômica Federal. Fazendo bom uso desta quantia é possível implementar no hospital, que atualmente só ocupa o térreo do prédio, e ainda atua como UPA, 5 centros cirúrgicos com mais de 60 leitos, 1 centro obstétrico moderno, além da rede cegonha (programa federal) com 3 quartos PPP, onde serão feitos partos humanizados.

Vou trabalhar forte para termos um hospital digno para os nossos munícipes. Aqui vivemos, aqui temos que receber os devidos cuidados, não é justo que tenhamos que ir a outro município para realizarmos uma operação ou até mesmo tratamentos mais básicos.

Meu dever como vereadora será fiscalizar se a licitação foi cumprida de forma correta ou se está sendo, assim como a licitação de todas as obras públicas; (3) A construção do Hospital Maternidade: De acordo com o Ministério da Saúde, são recomendadas no mínimo seis consultas de pré-natal durante toda a gravidez. Mas fica quase que impossível ter um acompanhamento médico quando a gestante precisa se deslocar de uma cidade para outra. Falta tempo, muitas vezes falta o dinheiro da passagem. Com a construção do Hospital Maternidade em Nilópolis, as gestantes poderão ser assistidas por uma equipe de profissionais qualificados (obstetra, ginecologista, enfermeiras), com programação de todos seus exames: tomografia computadorizada que permitem diagnóstico por imagem, laboratório de análises clínicas, equipamento de ultrassonografia, além de vacinas, sala pré-parto, quarto para acolher a mãe e o recém-nascido e também bancos de sangue e de leite. Estou falando da criação de um hospital maternidade bem preparado até para o caso de emergência, sem precisar sair de Nilópolis; (4) Saúde Bucal: tenho como proposta política aumentar de 5 para 79 equipes desenvolvendo ações de visitas domiciliares para prevenção e recuperação da saúde bucal. Para educação planejamos construir creches e escolas em período integral, visando assim melhorar a qualidade de ensino e ajudar aos pais que precisam trabalhar e não têm com quem deixar seus filhos. Vale ressaltar a importância de garantir nas creches e escolas a merenda. Isto não é um favor, é lei. A alimentação nas escolas é um direito do aluno e um dever do Estado.

Quanto a Covid-19, nenhum município no mundo estava preparado, a pandemia pegou o mundo de surpresa. Infelizmente houve muitas mortes. Os protocolos iniciais do Governo Federal estavam errados, antes éramos aconselhados a ficarmos em casa, hoje nos indicam tomar uma medicação antes de comparecermos ao hospital.

Raissa de Oliveira recebe no Calçadão de Nilópolis o senador da República, Romário

Prestes Filho: Quais suas propostas para transporte e segurança?

Raissa: Faremos uma revisão de todos os contratos de concessão pública para que consigamos tornar as passagens municipais mais baratas. Em relação à segurança temos os seguintes projetos: Implantar câmeras de segurança por toda cidade, com identificação facial e de placas nas entradas, saídas, bairros e vias principais usando o convênio do Governo Federal; Concurso público para aumento do efetivo da Guarda Municipal; Troca de toda iluminação pública por LED; Criação do programa de segurança comunitária com a Guarda Municipal; Brigar pela implantação do Segurança Presente.

Prestes Filho: Quais suas propostas para Melhor Idade? Quais iniciativas suas estão voltadas para índios, afrodescendentes, LGBTS?

Raissa: Para a Melhor Idade são: Médico em Casa, Saúde Bucal, apoiar todas as atividades já existentes voltadas a eles e fazer valer o Estatuto do Idoso. Serei a vereadora de todos, defenderei o cidadão nilopolitano, tenha ele sua raça, sua crença e ideologias.

Prestes Filho: Quais suas propostas para Meio Ambiente? Como você vê o potencial do parque de Gericinó?

Raissa:

Faremos um trabalho de apoio a fiscalização ambiental sobre o lançamento de dejetos na rede de esgoto.

Raissa de Oliveira em caminhada cívica com Neguinho da Beija-Flor e Sônia Capeta – Nilópolis (RJ)

Prestes Filho: Quais suas propostas para a mulher?

Raissa de Oliveira: Hospital Maternidade, Delegacia da Mulher, aumentar os recursos para A Casa da Mulher.

Prestes Filho: Como fortalecer a parceria público/privada no município de Nilópolis?

Raissa de Oliveira: Podemos fazer um PPP na iluminação pública, no lixo, na coleta de entulhos, privatização da água e tratamento de esgotos. Automaticamente gerando melhores serviços, economia para o município, inclusive recursos e empregos para a cidade.

Prestes Filho: A GRES Beija-Flor de Nilópolis poderia ser mais potencializada pelo poder público municipal? Como?

Raissa de Oliveira:

Esta é uma pergunta que deve ser direcionada ao presidente da Escola e ao atual Prefeito.

Raissa durante caminhada pelas ruas de Nilópolis acompanhada da mãe Cristina e do irmão, Diego

Prestes Filho: Sua família tem tradição na política de Nilópolis? Conte sobre seu pai e sua mãe, sobre sua família.

Raissa de Oliveira: Não, meu pai é porteiro e minha mãe faxineira. Através da arte que conquistei melhores condições: a minha transferência para a escola particular se deu devido a uma bolsa 100% que ganhei, assim como na graduação. Pude ajudar com as despesas de casa.

Prestes Filho: Como você se iniciou na política? Qual sua experiência?

Raissa de Oliveira: Nunca participei da política, nunca ocupei nenhum cargo público. Esta é a minha primeira candidatura.

Prestes Filho: Você entende que o instituto constitucional das eleições é a base da democracia? A democracia é o sistema político que deve ser protegido e fortalecido?

Raissa de Oliveira:

Sim, com certeza. Sim, é o único sistema que defendo, a democracia.


LUIZ CARLOS PRESTES FILHO – Cineasta, formado na antiga União Soviética. Especialista em Economia da Cultura e Desenvolvimento Econômico Local, diretor executivo do jornal Tribuna da Imprensa Livre. Coordenou estudos sobre a contribuição da Cultura para o PIB do Estado do Rio de Janeiro (2002) e sobre as cadeias produtivas da Economia da Música (2005) e do Carnaval (2009). É autor do livro “O Maior Espetáculo da Terra – 30 anos do Sambódromo” (2015).