Por Biagio Marasciulo 

Daqui da Itália… Para vocês do Brasil!!! – Correspondência para todos.

Aqui estamos, queridos amigos e leitores brasileiros da Tribuna da Imprensa Livre! Nossa correspondência da Itália chega esta semana para continuar a dar-lhes notícias das regiões que constituem o nosso belo território nacional; vamos conhecer mais quatro: TRENTINO ALTO ADIGE, VENETO, FRIULI VENEZIA GIULIA e EMILIA ROMAGNA.

Todas regiões muito conhecidas e importantes porque são frequentadas por milhões de turistas italianos e estrangeiros em qualquer época do ano.

O Trentino Alto Adige é a região mais setentrional da Itália; o seu território é totalmente montanhoso; as montanhas que se segue uma depois da outra, fazem parte da cadeia dos Alpes e, em particular, uma grande parte delas é chamada de “Dolomitas”; são componentes dos parques naturais e preservados por serem “Patrimônio Mundial” da UNESCO. A cultura da montanha tem-se revelado um sucesso nesta região, pois muito se tem investido para a tornar acolhedora e bem organizada do ponto de vista turístico; são duas temporadas que trazem ao alto a economia regional, pois na região serrana e, em particular ao longo dos vales, empresas turísticas desenvolveram-se e aproveitam muitos dos bondinhos teleféricos, assim como das pistas para esquiar durante o inverno e para desfrutar o turismo de verão com concentração de hotéis, residências e resorts turísticos que recebem os visitantes para atividades esportivas e de relaxamento durante o verão.

Caldonazzo e Levico

No sul da Região, no Trentino, fala-se a língua italiana, enquanto no Alto Adige existe um “bilinguismo” institucional entre o italiano e o alemão, idioma trazido pelos povos germânicos ao Tirol no noroeste da região. Existem muitos lagos alpinos, e valadas montanhosas, que aumentam ainda mais a beleza e o panorama das Dolomitas, com suas montanhas de gelo e todas as cadeias de montanhas da região; quase todas são de origem glacial; o lago de Garda no norte, além dos lagos de Molveno, Ledro, Braies, Carezza, Levico e Caldonazzo e de Tovel; estes são os mais conhecidos, mas muitos outros lagos pequenos e lindos estão espalhados entre as maravilhosas montanhas desta região.

Alí também se produz vinhos excelentes, e no entanto a cultivação de maçãs é a principal atividade agrícola; também existem muitas fazendas de gado que exploram as grandes áreas verdes do território; quem vai em férias à esta belíssima região não se esquece facilmente!

O Vêneto, região localizada no nordeste da Itália, tem muito mais para ser explorado além de Veneza

Uma outra região é o Vêneto, outros hábitos, outro tipo de população, mas em comum uma grande propensão para o turismo; e não poderia ser diferente, tendo como capital regional uma cidade que é conhecida em todo o Mundo por ser única e extraordinária: estamos falando de VENEZA !!! A sua fama planetária como uma cidade “suspensa entre a água e o céu” é em harmonia com o centro cultural universitário, reconhecido, junto à Universidade de Pádua, entre as melhores da Europa. O Vêneto é uma região impulsionadora para toda a nação; história, cultura, arte e belezas naturais fazem dela um lugar onde a qualidade de vida está entre as melhores do país; a sua decolagem industrial ocorreu mais tarde do que em muitas outras regiões, mas foi favorecida pela posição geográfica, pelo tráfego comercial e industrial dirigido à Europa Oriental.

A cidade de Veneza em 2020, sendo limpa em ação de combate ao coronavírus

Outras cidades importantes como Pádua, Verona e Vicenza desde sempre contribuíram para fazer do Vêneto uma região cobiçada pelo bem-estar e também pelo centro de saúde de vanguarda entre as grandes cidades já mencionadas; altamente desenvolvidos são também os spas termais na área das “Colinas Euganei” perto de Pádua e do Lago de Garda (o maior da Itália). A cidade de Cortina, nas Dolomitas, centro turístico internacional de inverno e verão, será a sede dos próximos Jogos Olímpicos de Inverno na neve.

Anfiteatro Romano na antiga Arena de Verona

Verona com a sua antiga Arena é um centro muito animado onde se realizam numerosas atividades teatrais e culturais, bem como música ao ar livre, com a concorrência do famoso Teatro “La Fenice” de Veneza; também na cidade lagunar de Veneza acontece o famoso Festival Internacional de Cinema que atrai o público para inúmeros eventos nos meses de férias de verão de agosto. No mesmo período, toda a costa do Mar Adriático é um total resort à beira-mar, balnearios de alto nível com praias conhecidas e frequentadas por turistas de toda a Europa. Em suma, queridos amigos, uma região que desperta um grande interesse que não deriva apenas da maravilhosa Veneza!

Palmanova é uma comuna italiana da região do Friuli-Venezia Giulia, província de Udine

Na fronteira a leste, há outra região cuja história reúne evidências de um grande passado nos últimos dois séculos: o Friuli-Venezia Giulia. Historicamente, uma fronteira e, portanto, uma encruzilhada de povos, culturas distintas e comércios de todos os tipos; hoje, após um desastroso terremoto em 1976, é uma das realidades econômicas mais bem-sucedidas do Nordeste da Itália. A capital regional, Trieste, é uma cidade que tem uma história complicada devido à sucessão de “pertencimentos” a diferentes realidades políticas, mas hoje é um dos centros mais avançados e representativos em “Pesquisa Científica” e por um porto comercial de importância primordial com uma entrada/saída para o mar, para toda uma área da Europa Oriental; as cidades de Pordenone e Udine são unidades industriais próximos às áreas montanhosas que fazem fronteira com a Áustria e a Eslovênia, onde se concentram excelentes centros montanhosos nas Dolomitas do Friuli.

Toda a costa marítima até a fronteira com a Croácia possui balneários de excelente qualidade, com alta hotelaria e serviços turísticos em geral. O Friuli Venezia Giulia, apesar de ser uma das menores regiões em termos de extensão territorial, tornou-se um lugar onde a renda média per capita de seus habitantes está entre as mais altas da Itália. Olhando para a atraente península italiana, uma outra região está localizada a nordeste do fundo da região de Veneto e que, devido às suas características geográficas e ambientais, representa uma parte do país onde o bem-estar e o tipo de empresas familiares determinaram uma espécie de “megalópole” de férias com base no turismo à beira-mar e “diversão”: estamos falando da Emilia Romagna.

Emília-Romanha

São poucos os turistas que não conhecem a costa romanhola com uma cidade de um nome que atrai muitos jovens, mas não somente os jovens, que é a famosa Rimini (na cidade do grande cineasta Federico Fellini), no centro de uma faixa de território que deve a sua fortuna ao verão! Em primeiro lugar na produção agrícola, a região caracteriza-se por um impressionante sistema de cooperativas autofinanciadas que determinaram um crescimento econômico essencial com um modelo de desenvolvimento característico e inovador, elevando consideravelmente o nível de vida entre os mais altos da Itália; Bolonha, a capital regional, tem serviços universitários ao top do país, um serviço de saúde entre os mais conhecidos não só na Itália, como em todas as outras cidades da Região (Piacenza, Parma, Reggio Emilia, Modena, Forlì-Cesena, Ferrara e Ravenna, bem como Rimini) são centros com cada um deles tendo características muito interessantes. Lembramos que a famosa “Ferrari” nasceu nesta região, na província de Modena (alias cidade natia do “grandissimo” Luciano Pavarotti), com os seus automóveis que são um mito para todos os amantes do automobilismo; Parma é mundialmente famosa por dois produtos alimentícios internacionais, o presunto Parma “Prosciutto” e o queijo “Parmesão”; toda a Região está em primeiro lugar por seus atrativos turísticos e esportivos, mas certamente não são os únicos a determinar uma economia avançada.

Ferrari 812 superfast

Basta lembrar, além de tantos atrativos positivos, a importância nacional da “gastronomia” desta região. Todos os italianos apreciam a hospitalidade do povo da Emilia Romagna e reconhecem esta região extraordinária como o recorde … de alegria !!! Nas lindas praias do litoral de Rimini é possível conhecer no verão gente de todo o mundo e, vale ressaltar, também muitos amigos brasileiros que amam e adoram o “clima de festa” desta região.

Até a próxima, queridos leitores da “Tribuna da Imprensa Livre” !!! Arrivederci !

Correspondência da Itália de Biagio Marasciulo – Tradução do texto de Miguel Antinarelli
Reprodução PROIBIDA.

QUI ITALIA, … A VOI BRASILE !!! – Corrispondenza per TUTTI

Biagio Marasciulo

Eccoci qua, cari Amici Lettori Brasiliani della “Tribuna da Imprensa Livre”! La nostra corrispondenza dall’Italia arriva questa settimana per continuare a fornirvi notizie delle Regioni che compongono il nostro bel territorio nazionale; ne conosceremo altre quattro: TRENTINO ALTO ADIGE, VENETO, FRIULI VENEZIA GIULIA e EMILIA ROMAGNA.

Tutte Regioni molto conosciute ed importanti perché frequentate da milioni di turisti italiani e stranieri in ogni periodo dell’anno. Il Trentino Alto Adige è la più settentrionale delle Regioni italiane; il suo territorio è totalmente montuoso; le montagne che si susseguono fanno parte della catena delle Alpi e, in particolare, una gran parte di esse viene denominata “Dolomiti”; sono le componenti di Parchi naturali e preservati perché sono “Patrimonio dell’Umanità” sotto la protezione dell’UNESCO. La cultura della montagna si è rivelata vincente in questa Regione, perché molto è stato investito per renderla accogliente ed organizzata sotto il profilo turistico; sono due le stagioni che portano in alto l’economia regionale, perché nel territorio montuoso e, in particolare lungo le vallate, si sono sviluppate Aziende turistiche che sfruttano moltissimi impianti di risalita e piste per sciare durante la stagione invernale e per avviare turismo estivo con una concentrazione di alberghi, residence e villaggi turistici che accolgono frequentatori di attività anche sportive e di relax durante l’estate. Nel sud della Regione, in Trentino, si parla la lingua italiana, mentre in Alto Adige esiste il “bilinguismo” istituzionale fra lingua italiana ed il tedesco, lingua importata nel Tirolo dalle popolazioni germaniche nel nord ovest della Regione. Moltissimi sono i laghi alpini, a valle dei gruppi montuosi, che aumentano la bellezza dei panorami delle Dolomiti, con i loro ghiacciai, e di tutte le catene montuose della zona; sono quasi tutti di origine glaciale; il lago di Garda con la parte estrema a nord, poi i laghi di Molveno, di Ledro, di Braies, di Carezza, di Levico e Caldonazzo e di Tovel; sono i più conosciuti, ma molti piccoli laghetti sono cosparsi fra le meravigliose montagne di questa particolare Regione.

In essa si producono anche eccellenti Vini, mentre la coltivazione delle mele è la principale attività agricola; molto sviluppati gli allevamenti bovini che sfruttano le grandi aree di verde del territorio; chi va in vacanza in questa Regione molto bella non lo dimentica facilmente! Altra Regione il Veneto, altre abitudini, altra tipologia di popolazione, ma in comune una grande propensione al turismo; non potrebbe essere diverso, avendo come capoluogo regionale una città che è conosciuta in tutto il Mondo perché unica e straordinaria: parliamo di VENEZIA!!! La sua fama planetaria di città “sospesa tra acqua e cielo” si abbina al polo culturale universitario, riconosciuto, con l’Università di Padova, tra i migliori d’Europa. Il Veneto è una Regione traino per tutta la Nazione; storia, cultura, Arte e bellezze naturali ne fanno un luogo in cui la qualità della vita è tra le migliori del Paese; il decollo industriale è avvenuto in ritardo rispetto a tante altre Regioni, ma è stato favorito dalla posizione geografica per i traffici commerciali ed industriali diretti nell’Est Europa. Altre importanti città come Padova, Verona e Vicenza hanno da sempre contribuito a rendere il Veneto come Regione ambita per benessere e anche per il polo sanitario d’avanguardia fra le grandi città già nominate; molto sviluppate le stazioni termali ad esso collegate nella zona “colli Euganei” presso Padova e presso il lago di Garda (il più grande d’Italia).

La città di Cortina, nelle Dolomiti venete, centro turistico invernale ed estivo internazionale, sarà sede delle prossime Olimpiadi invernali sulla neve. Verona con la sua antica Arena è un centro vivacissimo in cui si svolgono numerose attività teatrali e culturali, oltreché musicali all’aperto, con la concorrenza del famoso Teatro “La Fenice” di Venezia; sempre nella città lagunare si svolge un famoso Festival del Cinema Internazionale che attrae pubblico per innumerevoli eventi nel mese di ferie estive di Agosto. Nello stesso periodo tutta la costa sul Mare Adriatico è centro balneare di altissimo livello con spiagge molto conosciute e frequentate da turisti che arrivano da tutta l’Europa. Insomma, cari Amici, una Regione che suscita un grandissimo interesse che non deriva soltanto dalla meravigliosa Venezia! Confinante ad Est vi è un’altra Regione la cui storia raccoglie testimonianze di un grande passato negli ultimi due secoli: Il Friuli Venezia Giulia.

Terra storicamente di confine e, quindi, crocevia di popoli, culture distinte e commerci di ogni genere; oggi, dopo un disastroso terremoto avvenuto nel 1976, è una delle realtà economiche più vivaci del Nordest dell’Italia. Il capoluogo della Regione, Trieste, è una città che ha una storia complicata per il susseguirsi di “appartenenze” a diverse realtà politiche, ma oggi è uno dei centri più evoluti e rappresentativi nella “Ricerca scientifica” e per un porto commerciale di primaria importanza come sbocco sul mare di tutta una zona dell’Est Europa; le città di Pordenone e Udine sono distretti industriali in prossimità delle zone di montagna confinanti con l’Austria e la Slovenia, dove sono riuniti centri montani di ottimo livello nelle Dolomiti Friulane. Tutta la costa sul mare fino al confine con la Croazia dispone di centri balneari di ottima qualità, con elevati servizi alberghieri e turistici in generale. Il Friuli Venezia Giulia, pur essendo una Regione fra le più piccole come estensione territoriale, è diventata luogo in cui la media del reddito pro-capite dei suoi abitanti è tra le più elevate d’Italia. Guardando la attraente Penisola italiana ecco che si colloca a nordest in basso dal Veneto un’altra Regione che per le sue caratteristiche geografiche, ma anche ambientali, rappresenta una parte del Paese in cui il benessere e la tipologia di imprese a carattere familiare hanno determinato una sorta di “megalopoli” delle vacanze basate sul turismo balneare e del “divertimento”: stiamo parlando dell’Emilia Romagna.

Sono pochi i turisti che non conoscono la costa romagnola con una città dal nome che richiama i giovani, ma non solo, e che è Rimini, al centro di una fascia di territorio che all’estate deve la sua fortuna! Al primo posto per produzione agricola, la Regione è caratterizzata da un imponente sistema di cooperative capaci di autofinanziamento che hanno determinato una crescita economica essenziale con un modello di sviluppo caratteristico ed innovativo, elevando notevolmente il tenore di vita fra i più alti in Italia; Bologna, il capoluogo regionale dispone di servizi Universitari all’apice del Paese, di un servizio sanitario fra le eccellenze note non solo in Italia, mentre tutte le altre città della Regione (Piacenza, Parma, Reggio Emilia, Modena, Forlì-Cesena, Ferrara e Ravenna, oltre a Rimini) sono centri con ciascuno di essi che presenta caratteristiche interessanti. Ricordiamo che in questa Regione è nata la famosa “Ferrari Auto”, in provincia di Modena, con le sue automobili che sono un mito per tutti coloro che amano la guida automobilistica; Parma è famosa nel mondo per due prodotti alimentari internazionali, il “Prosciutto” ed il formaggio “parmigiano”; tutta la Regione è in primo piano per le sue attrazioni turistiche e sportive, ma non certo uniche a determinare un’economia avanzata. Basta rammentare, oltre a tante positive attrazioni, l’importanza nazionale della “gastronomia” di questa Regione. Tutti gli italiani apprezzano l’ospitalità della gente dell’Emilia Romagna e riconoscono a questa straordinaria Regione il primato … dell’allegria!!!

Sulle belle spiagge della costa di Rimini si possono incontrare d’estate genti di tutto il mondo e, bisogna sottolinearlo, anche moltissimi amici ed amiche brasiliani che amano e adorano il “clima festoso” di questa Regione.

Alla prossima, carissimi Lettori di “Tribuna da Imprensa Livre”!!! Até-logo!

Corrispondenza dall’Italia di BIAGIO MARASCIULO, con la collaborazione per la traduzione di MIGUEL ANTINARELLI.

BIAGIO MARASCIULO – Colunista do jornal Tribuna da Imprensa Livre, representante e correspondente internacional na cidade de Pádua, Itália. 

MIGUEL ANGELO ANTINARELLI –  Tradutor e representante internacional em Roma, Itália. Engenheiro Eletrônico com especialização Pós-Universitária em Engenharia Industrial na Itália. Atuou como bolsista do governo italiano em pesquisa científica na área de Engenharia Biomédica na Universidade de Nápoles (ITA). Além da Itália morou na Alemanha, Estados Unidos, Japão e trabalhou em multinacionais como a Texas Intruments, Goddyear e AGC Asahi Glass.


Tribuna recomenda!