Categorias

Blog Post

Amizade nos Tempos da Pandemia
Colunistas, Geral

Amizade nos Tempos da Pandemia 

Por Michelle Meneses

Como ficam as relações de amizades em tempos de opiniões tão polarizadas?

Sabemos que os laços de amizades são importantes para nosso desenvolvimento emocional e social.

Muitas vezes os amigos desempenham um papel vital em nossas vidas, às vezes são mais presentes do que nossos próprios familiares.

Mas como lidar com aquele amigo que está do outro lado da trincheira? Como lidar com aquele amigo que apoia o Negacionismo? Como conviver com aquele amigo cheio de preconceitos?

Creio que na altura do campeonato, já percebemos que vivemos em uma “guerra” ideológica e em uma luta contra um vírus mortal! Estamos entrincheirados em uma batalha árdua de opiniões e atitudes controversas, não há espaço para a neutralidade, para a isenção!

Como ser neutro diante de quase 500 Mil Brasileiros Mortos pelo Coronavirus?

Acho que é impossível, não é mesmo?

Quando você escolhe ser ‘Neutro”, talvez sem que perceba, você já escolheu um lado!

E geralmente é o lado do opressor.

É  muito difícil manter uma relação cordial de amizade com quem comunga de valores e princípios tão duvidosos e diferentes dos nossos.

Mas é aí que está a questão: não se trata apenas de ter opiniões diferentes, ter gostos e interesses diferentes. Não é essa a discussão.

A questão é como você se posiciona diante da barbárie e da injustiça que assola o Brasil.

O debate é Ético.

Falamos o tempo todo em tolerância, aceitação, respeito e empatia. Devemos tolerar o intolerável? Devemos aceitar que o outro pense diferente?

Como aceitar quando seu melhor amigo não só defende, mas como também apoia um Governo Negacionista, AntiCiência, AntiVacina e Genocida? Como ser tolerante com ideias e atitudes que contribuem para a tragédia da Pandemia no Brasil? Como demonstrar empatia por alguém que defende um homem que despreza e debocha diuturnamente contra seu próprio povo? Como aceitar que seu amigo apoie a insanidade, maldade e o preconceito?

Difícil!

Em tempos de Pandemia, muitos descobriram que seus amigos mais próximos, tinham opiniões e atitudes que nunca imaginaram que pudessem ter!

Nessa situação não é pura e simples divergência de pensamento sobre gostar mais do verde ou do azul, mas sim divergência de caráter.

É  assustador constatar que aquela pessoa, que demonstra ser gente boa e inteligente, se recusa a usar máscara ou simplesmente é um antivacina, cheio de teorias da conspiração sobre a indústria farmacêutica.

A História Mundial sempre nos ensinou que em tempos de guerras e ânimos acirrados, a polarização de posturas e ideologias é uma realidade!

Porém também nos mostrou que só existem dois lados em uma Guerra: Certo x Errado.

Não dá para relativizar sobre o quê é fazer o Certo e o Errado!

De modo que a própria história nos fornece meios para que possamos saber qual o caminho que devemos seguir, ou alguém ainda tem dúvida qual foi o lado certo na 2° Guerra Mundial?

Não é uma questão de defender pontos de vista diferentes, mas sim de estar agindo de acordo com a sensatez, a razão e a justiça durante a mais grave crise sanitária e social do nosso país.

É  impossível criar uma narrativa para corroborar um discurso Negacionista e assim, alterar a realidade que vivemos.

Amigos são aqueles que nos dão às mãos nos momentos de alegrias e tristezas, são aqueles que escolhemos para seguirem ao nosso lado ao longo da vida, superando obstáculos, apoiando mutuamente e celebrando a felicidade um do outro.

Portanto, nesse momento de tantas incertezas e medos quanto ao futuro, não podemos seguir na caminhada da vida com amigos que não estejam do lado certo da história.


MICHELLE MENESES – Advogada, Escritora, Mãe de 4 filhos e colunista do jornal Tribuna da Imprensa Livre.

Related posts

Deixe uma resposta

Required fields are marked *